terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Crônica - O Tempo é Amar
























   Gente, nunca havia escrito uma crônica. Ainda mais com tema pré-escolhido. Tomara que vocês gostem! O texto é um tipo de Crônica-Steampunk-Romance-Fictícia (acho que isso não existe), para incrementar o Ano Novo!!!


 


                   O Tempo é Amar

  Já faz tanto tempo...Cada segundo que passo nesse trem, olhando a janela, vendo fumaça, e os notórios zepelins. Aqui dentro, tudo é diferente, mais vivo, singular.
  As damas com seus belos vestidos. Rapazes, em seus chapéis, abrindo caminho entre as beldades. Tantos sorrisos, tantos sonhos.
  O ano novo se aproxima. Nem faz tanta diferença assim. Não tenho mais felicidade, sinto a angústia me invadir, encharcada de rancor, que espreme a esperança.
  Olho a janela novamente, algo me chama a atenção. O trem está parando, demasiado, devagar, da mesma forma que o amor, vejo ao lado de fora, vertiginando naquele lindo casal.
  Um garoto, ajoelhado aos pés da linda dama. Uma rosa em sua mão! Não, não. Há algo mais: escondido sob a rosa, algo enervante...brilhante.
  Continuo a acompanhar tão peculiar cena, quando a bela moça laça o rapaz em seus delgados braços, e finalmente o beija, como se já não houvesse mais nada, gravidade, vento ou rancor. Eles se acham o último ponto de felicidade, o último amor.
  O trem volta a correr, voraz, ágil, como se nada realmente tivesse acontecido. Mas aconteceu, eu vi acontecer, eu vi o "AMAR". Mesmo já tendo passado, eu sinto que agora sei o que devo fazer.
  Eu vou voltar, voltar por você...Jeanine. Do mesmo jeito que o belo casal da janela, que resplandeceram de tanto Amar, e mesmo assim, quase passaram despercebidos. Isso não acontecerá conosco. Pois todos saberão que eu amo você!
  O trem amansa novamente, devagar, assim como antes acontecerá com o belo casal. Olho pela janela, atônito, pois lá está ela, parada. Me esperando voltar. Então faço algo que nem imaginava que poderia voltaria a fazer...Eu sorri!
                                                                                           (Gláuber Brasileiro)
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário