domingo, 26 de junho de 2016

Vidas Secas - Graciliano Ramos



























"Admirava as palavras compridas e difíceis da gente da cidade, tentava reproduzir algumas, em vão, mas sabia que elas eram inúteis e talvez perigosas." (Graciliano Ramos)


  
  A vida de Fabiano retrata o sofrimento do povo sertanejo, que em sua luta constante contra as forças da natureza, acumulam sonhos e desejos que talvez nunca sejam  alcançados.
 Em sua jornada, é acompanhado por sua mulher, Sinha Vitória, sua cachorra, Baleia, e seus dois filhos, menino mais velho e menino mais novo, que a procura de uma vida melhor, caminhão pelo agreste em meio a seca; sem comida, água, ou local para descansar, até que o jogo vira radicalmente.
 Sua chegada a fazenda, descreve uma provável nova fase de sua existência, onde, pela primeira vez em bastante tempo, eles poderiam reconstruir suas vidas e estabelecer raízes em um novo local. Contudo, o futuro dessa família é incerto; medos e dores fazem parte de seu dia a dia, retirando, a cada sopro, um pouco mais da esperança ainda ardente em seu peito. 
          ========
  Como a maioria dos jovens, nunca havia me interessado nos clássicos da literatura brasileira, sobretudo as narrativas truncadas que tanto atrasam a leitura. Porém, Vidas Secas (solicitada pelo professor de minha classe), me revelou um novo ponto de vista sobre os temas normalmente abordados em sala de aula, o que me fez compreender um pouco melhor a obra.
  
 


 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário